Sífilis Congênita, um desafio de todos
 
Dia Nacional de Combate à Sífilis Congênita
A sífilis congênita e o paradigma da luta do bem contra o mal
20 de outubro de 2007


Clik e Assista o vídeo da Campanha de Prevenção da Sífilis - CEDUS

SÍFILIS CONGÊNITA POR MAURO ROMERO LEAL PASSOS 

PROPUESTA DE ALAC-ITS: Dia Latino Americano
 

Treponema pallidum: 100 anos depois a sífilis ainda é problema

Português

Espanhol

Inglês

  
 Aula 1 - Sífilis Congênita conheça mais clicando aqui
 
   BOLETIM  EPIDEMIOLÓGICO
  

PROJETO: SÍFILIS CONGÊNITA, UM DESAFIO DE TODOS

OBJETIVOS: Sensibilizar a população, os profissionais de saúde e os gestores de saúde pública para aumentarem a quantidade e qualidade na informação sobre o tema.Promover testagem sorológica em gestantes e nos casos positivos (diagnósticos de sífilis), disponibilizar tratamento.Disponibilizar a mesma atenção aos parceiros sexuais dessas mulheres grávidas e a população em geral sexualmente ativa.

FUNDAMENTAÇÃO: A Coordenação Nacional de DST/Aids, Ministério da Saúde (CNDST/Aids) informa que no ano de 2.000 foram notificados mais de 4.000 casos de Sífilis Congênita (SC) no Brasil.Relata ainda, que a taxa de prevalência de sífilis na gravidez é de cerca de 4%.Cita-se também, que em 40% dos casos de sífilis na mulher grávida, acarreta grave dano ou morte para o concepto (bebê).Estima-se ainda, que ocorram no Brasil mais de 900.000 novos casos de sífilis por ano.Assim, mais do que urgente é vergonhoso para a saúde pública brasileira, ver esses dados continuarem acontecer, sem que ações efetivas sejam implementadas.Os números dessa doença, com certeza, pioram os indicadores de mortalidade infantil, refletindo no índice de desenvolvimento humano e na perspectiva de vida do brasileiro.Uma vez que o diagnóstico, tratamento e controle de cura são simples, baratos e altamente eficazes, não justifica-se conviver com tantos casos de sífilis no Brasil.Certamente, diagnosticando e tratando uma mulher grávida com sífilis, principalmente em estágios iniciais da gravidez e da doença, a chance de contaminação do feto será drasticamente reduzida. Por outro lado, poder-se-á ter grandes oportunidades de encontar o parceiro sexual infectado, tratando-o e atingindo o elo da cadeia de transmissão. Assim, quebrando-se o elo da transmissibilidade dessa DST, será possível intervir em outras DST e especificamente na Aids.

METODOLOGIA: Através de divulgação pela imprensa escrita, falada televisada e "internetizada", de materiais (ofícios, cartazes, folhetos, entrevistas...) sobre o tema, a população, profissionais de saúde e gestores públicos, poderão ter conhecimento mais detalhado sobre o problema.Disponibilizar o SETOR DE DST (UFF), situado no Outeiro São João Baptista, Campus do Valonguinho, Centro, Niterói, RJ, para atender as pessoas que procurarem o serviço, obedecendo as normas de diagnóstico e tratamento padronizados pela CNDST/Aids.

RESULTADOS ESPERADOS: Uma vez que, Niterói tem cerca de 14.000 partos ao ano, que cerca de 30% da população possue plano de saúde privada e que existe uma considerável rede de atenção básica em saúde, a maioria das pessoas irá procurar os serviços próximos às suas residências. Todavia, como Niterói, tradicionalmente atende grande demanda de pessoas de municípios vizinhos, onde a estruturação de atendimento médico não é igual ao de Niterói, imaginamos que poderemos atender até 1.000 pessoas em um mês. Isso porque, muitas pessoas não grávidas, mas que sentem-se em risco para DST, irão também procurar nosso setor. Se confirmada as estimativas da CNDST/Aids, iremos diagnosticar, pelo menos, 40 pessoas com sífilis em igual período. Entretanto, não será de todo surpresa se, em Niterói, as taxas forem menores.

BENEFÍCIOS ESPERADOS:

·      Aumentar o conhecimento de todos sobre o tema Sífilis e Sífilis Congênita.

·      Diagnosticar e tratar casos de Sífilis na gravidez antes da contaminação do concepto.

·      Diagnosticar e tratar casos de Sífilis na grávida e no seu concepto, evitando complicações neonatais.

·      Diagnosticar e tratar casos de Sífilis em parceiros sexuais.

·      Uma vez que, muitas dessas pessoas serão portadoras de outras DST, inclusive do HIV, será possível promover o diagnóstico precoce dessas infecções e seu devido encaminhamento.

Com esses benefícios, será possível dizer que estaremos interrompendo a cadeia de transmissão e prevenindo novas ocrrências de DST, em parcela da população que representa o núcleo de disseminação dessas infecções.

OBS. Se a demanda ultrapassar a nossa capacidade de atendimento, laboratórios de análises clínicas privados de Niterói e São Gonçalo previamente contatos (Alcântara, Dom Bosco, Saddy e Laboratório da Clínica São Gonçalo) realizarão até 10 exames treponêmicos ( confirmatórios quando o caso exigir ) no período de um mês. Isso garantirá que os resultados finais não demorem mais do que 10 dias depois da coleta de sangue.

COORDENAÇÃO: Mauro Romero Leal Passos e Nero Araújo Barreto
COLABORADORES ESPECIAIS:
Rubem de Avelar Goulart Filho e Vandira Pinheiro
EQUIPE ENVOLVIDA:
Toda a equipe do Setor de DST (MIP/CMB/CCM) da Universidade Federal Fluminense

ORGANIZAÇÃO:

Setor de DST (MIP/CMB/CCM) Universidade Federal Fluminense
Sociedade Brasileira de DST
Sociedade de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro, Regional Niterói-São Gonçalo
Associação Médica Fluminense

PATROCÍNIO:

Usimed e Unimed, São Gonçalo-Niterói

Cartazes:

Quer diminuir a Aids ?
Começe tentando acabar com a Sífilis Congênita.
O Brasil não merece essa vergonha.

Grávida

A Sífilis pode matar seu bebê.
Faça pré-natal.
Exija o teste sorológico.
O tratamento é totalmente eficaz.

Sífilis Congênita

Uma vergonha na saúde pública nacional.
Pior, poucos falam sobre o problema.
Brasil: chega de tantas mortes.
É preciso assumir o desafio de erradicar a Sífilis Congênita até 2.010.
Nós da SBDST/Setor de DST-UFF já assumimos esse compromisso.
E você ?

Sífilis Congênita

Antes de matar a criança, o Treponema ataca a mãe, que foi infectada pelo parceiro.
Relação sexual, antes de ser uma transa, deve ser um momento de carinho, de respeito e não de passar uma doença.